Musicais sobre Silvio Santos e Arlindo Cruz estreiam na semana; veja roteiro

Nesta sexta (13), estreia o musical “Silvio Santos Vem Aí”, no Teatro Santander, que narra a trajetória do empresário e apresentador do SBT. Dirigido por Fernanda Chamma, a montagem retrata Silvio desde a infância até os anos 1990, quando ele consolida sua emissora.

Musical “Silvio Santos Vem Aí” Andy Santana / Futura Press/ Folhap

Fonte: guia.folha.uol.com.br

Quem o interpreta é o ator Velson D’Souza, que já participou de novelas do SBT, como “Vende-se um Véu de Noiva’. Em cena também aparecem outros grandes nomes que passaram pelo canal, entre eles Elke Maravilha e os apresentadores Gugu Liberato e Hebe Camargo.

No teatro Porto Seguro, o espetáculo “Quando A Gente Ama – Um Musical com Sambas de Arlindo Cruz” também estreia nesta sexta. Com texto e direção de João Batista, a montagem faz uma ode ao amor, refletindo sobre altos e baixos do sentimento a partir de canções do repertório do sambista.

No palco, três casais interpretam dez histórias curtas, cujas narrativas são embaladas por uma roda de samba que entoa grandes sucessos do cantor, como “Casal Sem Vergonha”, “O Show Tem Que Continuar” e “O Que é o Amor”.

Confira as novidades da semana e o que sai de cartaz no roteiro abaixo.

Estreia

Arigós – Bandeira, Espinha de Peixe, Cara de Gato
Inspirados pelos soldados da borracha, os arigós, e nos textos de Euclides da Cunha, a peça narra o percurso de nordestinos que deixaram o sertão para trabalhar em seringais na Amzônia.
CCSP – espaço cênico Ademar Guerra – R. Vergueiro, 1.000, Liberdade, tel. 3397-4002. Qui. a sáb.: 21h. Dom.: 18h. Até 5/4. Ingr.: R$ 20.

Cliff Precipício
Neste monólogo, inspirado no texto homônimo do espanhol Alberto Conejero López, Gustavo Gasparani dá vida ao ator americano Montgomery Clift, conhecido por papéis em filmes como “Rio Vermelho” (1948). A narrativa resgata o acidente de carro que desfigurou seu rosto, fala de sua solidão e da tentativa de montar uma peça com Elizabeth Taylor. A direção é de Fernando Philbert.
Sesc Pinheiros – R. Pais Leme, 195, Pinheiros, tel. 3095-9400. Qui. a sáb.: 20h30. Até 25/4. Ingr.: R$ 9 a R$ 15 p/ sescsp.org.br.

Reestreia

O Bailado do Deus Morto
O Teatro Oficina volta a encenar texto de Flávio de Carvalho (1899-1973), que foi interditado pela polícia quando estreou no período da ditadura. Desta vez, a encenação é dirigida por Marcelo Drummond. A montagem narra o nascimento e a morte de um deus entre os humanos. A nova versão conta com 12 atores e músicos que réplicas das máscaras metálicas criadas por Carvalho e usadas na versão original.
Teat(r)o Oficina – R. Jaceguai, 520, Bela Vista, tel. 3104-0678. 300 lugares. Sex.: 21h. Até 3/4. Ingr.: R$ 40. Ingr. p/ sympla.com.br.

As Crianças
Um casal de físicos aposentados vive isolado numa casa improvisada perto de uma região que foi atingida por um acidente nuclear. A chegada de uma ex-colega de trabalho dos dois muda a rotina do lar.
Livraria Cultura (Conjunto Nacional) – teatro Eva Herz – Av. Paulista, 2.073, Bela Vista, tel. 3170-4059. 168 lugares. Sáb.: 20h. Dom.: 18h. Até 31/5. Ingr.: R$ 80. d

Fóssil
Nelson Baskerville vive o diretor de uma empresa de petróleo que recebe a visita de uma cineasta, vivida por Natalia Gonsales. Ela pede financiamento para o projeto de um filme. Com projeções e trilha original, a narrativa interliga histórias de mulheres curdas torturadas e a ditadura brasileira.
Aliança Francesa (República) – R. Gen. Jardim, 182, Vila Buarque, tel. 3572-2379. 230 lugares. Sex. e sáb.: 20h30. Dom.: 19h. Até 5/4. Ingr.: R$ 60. Ingr. p/ sympla.com.br.

Para os Dois Lados
O espetáculo tem como ponto de partida a crise da empatia no ser humano. Quatro pessoas tentam reconstruir a história de um homem atropelado a partir de sua aparência, suas roupas e a posição de seu corpo corpo.
Viga Espaço Cênico – R. Capote Valente, 1.323, Pinheiros, região oeste, tel. 3801-1843. Sáb.: 21h. Dom.: 19h. Até 29/3. Ingr.: R$ 40.

Roda Viva
O dramaturgo Zé Celso volta a dirigir sua versão para a peça de Chico Buarque. A trama acompanha a ascensão e a queda de um ídolo da música e atualiza a montagem de 1968 para acrescentar temas relacionados à internet e ao contexto político presente.
Teat(r)o Oficina – R. Jaceguai, 520, Bela Vista, tel. 3104-0678. Sáb.: 20h. Dom.: 19h. Até 5/4. Ingr.: R$ 60 p/ sympla.com.br.

Última semana

Eu Não Sou Harvey – O Desafio das Cabeças Trocadas
Monólogo interpretado por Ed Novaes revisita a história de Harvey Milk, primeiro homem abertamente gay na política americana. A peça não reconstrói de maneira cronológica sua trajetória, mas traça paralelos entre a história do ativista, a realidade brasileira e contextos que culminaram no seu assassinato.
Sesc Pinheiros – R. Pais Leme, 195, Pinheiros, tel. 3095-9400. Qui. a sáb.: 20h30. Até 14/3. Ingr.: R$ 9 a R$ 30 p/ sescsp.org.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *